Comissão da Verdade dos Trabalhadores em Educação do Setor Privado de Ensino define condução das atividades

A Comissão da Verdade dos Trabalhadores em Educação do Setor Privado de Ensino, instaurada pela Contee no dia 28 de março, já deu início às suas atividades de contribuir com o resgate da memória brasileira. O grupo é composto pelo ex-presidente da Contee e coordenador do Centro de Estudos Sindicais (CES), Augusto Petta; pela primeira-secretária da Associação dos Professores da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Goiás e representante da União Brasileira de Mulheres (UBM) no Conselho Nacional dos Direitos da Mulher e no Fórum Nacional de Educação (FNE), Lucia Rincón; pelo secretário de Imprensa e Comunicação do Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep-DF), Trajano Jardim; e pelo diretor do Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro-SP), onde ocupa o cargo de procurador, e da Plena da Contee, Ailton Fernandes, que é historiador.

Na última semana, a comissão se reuniu na sede do Sinpro-SP (com exceção da Lucia Rincón, que não pôde comparecer por motivo de saúde) e definiu como será feita a condução dos trabalhos. Um documento está sendo encaminhado às entidades filiadas demonstrando a importância do resgate histórico das perseguições políticas e torturas que vitimaram professores e trabalhadores da administração escolar em todo o país, durante o regime militar. No documento, a Comissão da Verdade solicita às entidades que façam um levantamento dos nomes de professores e técnicos administrativos de suas bases que foram vítimas da ditadura e que entrem em contato com esses trabalhadores, a fim de que se disponham a prestar depoimentos e fornecer documentos comprobatórios das perseguições e torturas sofridas.

As entidades filiadas terão prazo até 15 de agosto de 2014 para responder à solicitação, indicando quem são os trabalhadores vitimados, com os respectivos depoimentos e documentos. O grupo destaca que tal prazo terá que ser efetivamente cumprido, uma vez que o período estabelecido para finalizar o trabalho da Comissão Nacional da Verdade, à qual a Comissão da Verdade da Contee está vinculada, termina em dezembro.

A pesquisa deverá, ao fim dos trabalhos, se expressar num dossiê e num documentário a ser realizado pela Contee. Dependendo das respostas enviadas pelas entidades filiadas relativas às solicitações da Comissão, também poderão ser realizadas atividades de denúncia nos estados, contando inclusive com a participação dos trabalhadores em estabelecimentos de ensino vitimados. Filmes, documentários, debates poderão fazer parte destas atividades.

Todas as atividades programadas serão divulgadas no Portal da Contee, nas redes sociais, nas reuniões da Confederação e das entidades filiadas, bem como informadas aos veículos de comunicação em geral. A Contee também comunicará à Comissão Nacional da Verdade todo o trabalho que está sendo realizado.

Leia abaixo o comunicado às entidades da base da Contee:

Prezados companheiros,

a Contee cerra fileira junto a tantas outras entidades nacionais que buscam resgatar a memória daqueles que foram perseguidos pelo Estado brasileiro nos últimos 70 anos, neste longo período de nossa história recente. Ela tem por finalidade apurar as graves violações de Direitos Humanos ocorridos entre 18/09/1946 a 05/10/1988.

O período de exceção produziu inúmeros casos de tortura, mortes e desaparecimentos de incontáveis e valorosos companheiros nos mais diversos setores da sociedade.

Jornalistas, militantes, advogados, artistas, trabalhadores e tantas outras pessoas sofreram vários tipos de violência, seja física, psicológica ou na censura de seu trabalho.

A Contee quer denunciar junto à comissão da verdade criada pelo governo brasileiro o que aconteceu com professores e funcionários administrativos da nossa base. A proposta é resgatar esses depoimentos, tanto de sobreviventes quanto de familiares de perseguidos para dar ainda mais consistência ao relatório final da Comissão da verdade.

Para tanto a Contee disponibilizará equipe que irá tomar estes depoimentos e documentos não importando onde for, dentro do território brasileiro.

É uma iniciativa de suma importância que requer a colaboração de todas as entidades sindicais neste resgate.

O relatório final da comissão será apresentado à sociedade em dezembro de 2014. Portanto, precisamos das indicações até 15 de agosto do ano corrente, para que, num segundo momento, possamos resgatar os depoimentos.

Mandaremos um texto sobre o assunto para que as entidades possam publicar em seus canais de comunicação. Este será uma sugestão e poderá ser utilizado ou não. Poderá também ser modificado conforme as necessidades de cada entidade.

Fraternas saudações,

COMISSÃO DA VERDADE DA CONTEE

|
| Imprimir